terça-feira, 27 de abril de 2010

La bella Itália

Bom chegamos ao último passo da trip: Roma. A capital do império mais famoso! E como já esperava e nao poderia ser diferente, a cidade respira história e cultura! Mas antes de entrarmos na cidade em sí vamos continuar de onde paramos, a ida pra roma, que aliás é um capitulo interessante da história.

Rapida parada pra o oferecimento do dia: um grande abraço pro meu amigo Alcir (dinovo) que foi o grande parceiro dessa trip de 3 paises, um cara que planejou boa parte do passeio do Brasil e tudo. Além disso, um grande abraço pro Michel que me emprestou uma grana pra reservar os hotéis no brasil, e que eu demorei abessa a devolver. Desculpa Michel! Você é o cara!

Voltando a viagem. Na sexta acordamos em innsbruck e o plano era ir pra Roma. Na vespera tinhamos tentado comprar as passagens na estação de trem, mas nao deu porque o trens da Italia estavam de greve, e bla bla bla. O fato é que deixamos pra resolver tudo quando acordassemos na esperaça de que a greve tivesse acabado (sonho meu). Pela manhã fomos ao aeroporto pra tentar alugar um carro, o qual usariamos pra viajar pra itália e alcir traria de volta, de onde ele continuaria para a suiça, proximo ponta da viagem dele! O negócio é que innsbruck é uma cidade pequena e os carros estavam esgotados. Tentamos até, na ilusao de uma promoção relampago, ir ao aeroporto pra tentar uma passagem aerea, que como o esperado estavam carissimas (500 euros) o que tornou o mais inviavel dos planos. Decisão final: vamos pegar nossas coisas no hotel, ir pra estação e tomar um trem pra qlqr lugar, afinal se for pra pagar uma diaria a mais que seja num lugar que nao conhecemos ainda... isso ae, vamos tentar ir pra suiça! Chegando na estação, descobrimos que podiamos ir pra Itália, a tal greve nao era 24h, mas sim durante alguns horarios, o que nos possibilitou chegar ao nosso destino após uma troca de trem em uma pequena cidade chamada VERONA. Sim a famosissima Verona da mais famosa ainda história de Shekespeare, ROMEU E JULIETA. Em fim, fiquei animadasso pois a troca teria um pequeno intervalo de 2 horas o que possibilitaria uma rapida passagem por qualquer que fosse o ponto turistico da pequena cidade. Planos frustrados por um bug qualquer no trem que culminou em uma troca de trem no meio do caminho, mas que pelo menos apesar de ruim, graças a diferença de horarios nao fez com que perdessemos o trem seguinte, o que sem duvida seria mais transtornante. Enfim, chegamos a Roma por volta das 21:30.

O Capitulo seguinte foi a ida da estação para o hotel, apesar de curto e bobo é um capitulo engraçado e que nao posso deixar de contar. Ao sairmos da estação com uma tremenda cara de ontem, pelas dor nas pernas do ski na vespera e a longa viagem de trem, nos deparamos com uma imensa fila para o taxi (a essa altura nunca iriamos procurar o hotel a pé). Lea, "espertamente" negocia com um "taxista autonomo", ou nao registrado, ou qualquer coisa do tipo. A primeira coisa que me veio a cabeça foi: "barca furadassa! Manchete do jornal de amanhã: BRASILEIRO SAO ENCONTRADOS MORTOS DEPOIS DE SEREM TORTURADOS, ESTUPRADOS E TEREM SEUS ORGÃOS ROUBADOS, EXCETO O ANÚS ENCONTRADO EM SITUAÇÃO IRRECONHECIVEL". haha. Na verdade o medo era só de ser roubado, e depois aturar os policiais dizendo "turista burro, quer ser espertão pegando taxi nao registrado e se fode! Eu é que nao vou ajudar mesmo! Bem feito". Mas... vamo lá né! Já fiz um ano de Kung Fu e quero ver quem vai me dale! O medo com o passar do tempo nao passava, ainda mais que em geral o centro de Roma é marcado por ruas estreitas, escuras e desabitadas. Os cinco minutos de viagem pareceram horas. Mas apesar de aparentar um pouco perdido o cara até que nos levou no lugar certinho! Urfa! Sobraram risadas e o aprendizado de nunca mais fazer isso, taxi só o registrado mesmo, e o leandro nunca mais decide nada sozinho. Uma atitude dessa nao é o que se espera de um brasileiro malandro como eu! Coisa do mané do leandro! Bora se ligar: Malandro é malandro, mané é mané.

Depois de feito o check in, aproveitamos o fim de noite pra conhecer um pouco da night italiana. Caminhamos até uma praça ali próximo que segundo o atendente do hotél era bem badalada. De fato, o lugar é bem legal. A Itália tem um povo que adora conversar, alias falam bem alto, reunir grupos de amigos em bares ou nas praças mesmo e beber batendo papo e achando graça, algo que me lembrou bastante a nossa terrinha. Sentamos num restaurante ao redos da praça e apreciamos outra das belezas italiana, a culinária. Nossa, durante todos os dias que ficamos lá a comida é realmente algo invejavel. Vale muito a pena apreciar cada refeição com um prato tipico local, mesmo que pagando por volta dos 15 euros por cada uma delas! Uma melhor que a outra, pode acreditar que será um dinheiro bem investido, pode se dizer que é uma atração local. Comemos, bebemos e rimos muito, tiramos muito sarro do custume local de cumprimentos: Homens apertam as mãos das mulheres e beijam o rosto de outros homens. Rimos demais.

No dia seguinte, sabado portanto, saimos em direção ao Vaticano, tinhamos horario marcado com o Papa, o que infelizmente nao se concretizou por que nos atrazamos. No meio do caminho trassamos nosso trajeto de forma a visitar inumeros pontos existente na cidade, como ja disse, roma respira historia e a cidade tem varios monumentos concervados por toda parte, derrepente ao dobrar uma esquina, por entre os prédios você se depara com um obelisco do egito (que aliás existem dezenas deles espalhados por toda a cidade) trazido por algum imperador romano ou mesmo com construçoes como é o caso do Panteão.


O Vaticano como todos sabem é um Estado independente dentro da cidade de Roma. A basilica de Sao Pedro, sendo religioso ou não, é algo inigualavel. Cada cantinho do lugar tem um detalhe a ser observado. A praça a frente do templo tem um detalhe a ser observado que as colunas foram construidas de forma que quando observadas de determinado ponto encontram-se alinhadas. Fiz questao de escrever isso por que ninguem entende ao ler, inclusive eu, mas ao chegar no lugar tudo fica claro, o que aliás é uma sensação de surpresa ótima. Dentro da basilica fizemos questao de subir no alto da cupula, o que apesar do sacrificio vale muito a pena. Oferece uma ótima visão da cidade além de poder ser observado com detalhe a parte interna da cupula. Na saida tentamos tirar foto com o guardinha do papa com roupa de palhaço mas ele nao foi legal com agente :( Maldito!




Na volta pro hotel fizemos o mesmo tentando passar por alguns pontos turisticos, conhecemos muitas praças, em geral com um obelisco roubado do egito no centro, algumas igrejas, o templo de Adriano e até a famosa Fontana de Trevi, que tenho que admitir é muito bonita. Pela parte da noite, degustamos mais uma vez a culinaria local e um rolé pela night italiana para apreciar outro ponto de destaque local: as belas mulheres ou "la bella lagazza"!


No domingo saimos com fim de conhecer o Coliseu. A gigantesca e imponente construição no centro de Roma nao deixa nada a desejar ao que imaginava. Tudo que é falado se justifica ao se deparar com a magnifica construção. No caminho pra lá passamos pelo monumento de Vittorio Emanuele, uma escavações no centro da cidade e a rua do foro imperial, que tem um jardim ou parque muito bonito, e a rua ficou bem famosa ao ser retratada no filme "gladiador" onde maximus passa pelo meio do povo. Tudo muito inacreditavel. Ao entrarmos no coliseu de fato da pra imaginar uma viagem no tempo e se sentir um pouco na época dos grandes espetáculos de pão e circo! Depois de sair do coliseu caminhamos um pouco mais a frente para chegar ao Arco de Constantino, e ainda um pouco mais a frente chegamos ao lugar onde eram realizadas as corridas de bigas, mas que estava em escavação ou sei lá o que, então nem demos muita bola. Aproveitamos o fim do dia para ir a estação marcar a passagem do Alcir pra suiça e para comer mais uma vez (já viu que isso é o que mais fizemos em roma).



Pela parte da noite saimos pra curtir um pouquinho novamente, mas não demoramos a voltar, pois no dia seguinte tinhamos viagens.

E é isso. Ponto final na viagem. A volta pra Londrs foi tranquila e sem problemas na imigração. Uma forra pra quem estava estouradasso depois de tantas andassas.

Abraço do amigo europeu a todos.
Até a próxima.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Hora de esquiar! Innsbruck-Austria


Chegou a hora de esquiar!!! vivaaaa!

Hum... Então, seguindo viagem... Na quarta-feira, tomamos o Trem pra Innsbruck, que é uma cidade do interior da Austria, famosa por já ter realizado dois jogos olimpicos de inverno, e além disso é considerada a capital do TIROL, que é o nome da cordilheira que tem ao sul da alemanha/oeste da Austria.


Chegamos na cidade por volta das 14h, e antes de seguir pro hotel, resolvemos procurar um ponto de informação turistica, pra adiantar logo os planos do dia seguinte de ir pras montanhas esquiar, principal objetivo de visitar o tirol. Depois de procurar um pouco, encontramos. As minas lá indicaram os caminhos, deram panfletos e tudo, mas me deram um mega susto falando algo do tipo "esquiar é muito dificil, pra quem nunca tentou é melhor voces tentarem isso daquí" e entregou um panfleto de um "ski-bunda na neve". Fala sério né? Não vim até o fim do mundo pra descer num skibunda. Mas tudo bem, decidiriamos o plano na hora, já que tudo estava a disposicao pra ser alugado no alto da montanha.

De lá seguimos para o hotel. Tirando o fato de ser proximo ao aeroporto, e portanto longe do centro da cidade, foi o melhor hotel que ficamos, apesar de nao fazer diferença já que nao ficamos muito dentro do quarto, a essa altura do campeonato tinhamos uma semana viajando e foi legal ficar num lugar bacana. Sem contar que o café da manhã era uma delícia e a paisagem do quarto dava gosto de acordar e abrir as cortinas (o que em geral não se faz - luz matinal ninguem merece).


Depois de deixamos as nossas coisas e descansar um pouco, aproveitamos o fim do dia para conhecer a cidade. A cidade não é muito grande e é relativamente facil de andar (de onibus, nao tem metro. Até pq a cidade é pequena). É uma cidadezinha bem estruturada e organizada. Tem uns museus e monumentos importantes, mas nada que chame a atenção. Passeamos por uma rua de lojas e fomos procurar logo um pub pra comer um pouco já que até então estavamos sem almoçar, famintos portanto. Achamos um PUB bem legalzinho e com comidas tipicas da regiao, exatamente o que estavamos procurando! O unico problema era o belissimo cardápio em alemão! hahaha. Mas foi divertido conversar com o garçon na tentativa de encontrar algo que nos agradace. Aprendi com isso que a melhor opção é sempre falar: "eu gosto de carne, o que você sugere". O que ele falar peça! Sem medo de ser feliz e mesmo sem entender! haha.

Depois disso voltamos pra casa e descansamos para o cansativo dia seguinte de ski! ebaaaa.
Chegando na estação de esqui foi tudo melhor do que o esperado. Alugamos os equipamentos de esqui (sim! vivaaa!). Na verdade tinhamos a opção de snowboarding ou ski, dos quais o segundo teoricamente mais facil pra quem nunca tivesse tentado antes. Felizes da vida fomos por conta propria aprender a esquiar! haha. Momentos divertidissimos. Muita risada, desequilibrio e principalmente quedas, mas no fim do dia até que estavamos "andando" direitinho, além de muito cansados é claro, haha.



O video abaixo mostra minhaa evolução no ski... bem engreçado! haha
video

A visão do alto da montanha é impossivel descrever, e apesar de toda divesão esquiando, apreciar aquela paisagem foi o ponto alto do meu dia, ou quem sabe de toda a viagem. É algo inacreditavel. Um momento da vida que você para e olha com muita atenção, pra tentar tirar uma fotografia mental. Daquelas que nunca saem da memória. Acho que aquela visão vai ser meu eterno papel de parede mental!



Depois disso, aproveitamos e jantamos num café na estação de esquí, voltamos pro hotel e arrumamos nossas coisas pra no dia seguinte, sexta feira, partirmos pra Itália!


Abraço a todos.
Até a próxima!

domingo, 18 de abril de 2010

Vienna - Austria



Aproveitando o Domingão... O post de hoje é dedicado aos amigos que fazem a 2a prova da OAB pela 2a vez, especialmente Charles e Fábio... eita complicação isso ae eihn? Mas é isso ae! Vai dar tudo certo amigos, podem ficar tranquilos! Sucesso galera! To na torcida!

Vamos seguir viagem, de Praga seguimos na segunda feira para Viena de trem. Uma viagem tranquila, que demorou umas 5 horas mas que de trem passaram bem rapinho. Por falar nisso, viajar de trem é o mááááximo! Cara, voce pode chegar na plataforma faltando 5 minutos que nao tem burocracia, os caras só cobram bilhete dentro dos vagões ao longo da viagem, pode-se levar qnts malas quiser! Muito bom. Bom também, porque em geral nao vao lotados o que da uma liberdade pra poder conversar, levantar, ir no banheiro, ir no vagão restaurante! Fora tudo isso tem a paisagem que é um show a parte! Vale muito a pena!

Vagao Restaurante

Chegando na estação de Viena o primeiro impacto é o da língua, trocamos de checo para alemão. Então, eu com meu um ano de estudo da lingua alemã nas costas já estava em casa, certo? Haha, não foi bem assim... Tipo, o alemão que saia era algo do tipo “Entschuldgan, sprechen Sie english?” (“Com licença, fala você ingles?”), que por mais engraçado que possa parecer já ajudava um pouco. Pedimos informação no centro de informação turistica, pegamos o mapa da cidade, e fomos procurar o hotel. Tomamos o metro que ia pra uma estação com o nome da rua do nosso hotel, mas a cagada foi que a estação ia pro começo da rua e nosso hotel era no final, de saldo ficaram uns 15 quarteirões a pé com mochilas nas costas. Haha. O hotel era bem legalzinho até e viriamos a descobrir no outro dia um café da manhã bem gostoso.

Após deixar as malas descansamos um pouco e fomos conhecer o centro da cidade. Deu pra conhecer a cathedral cartao postal da cidade, uma praça, uma fonte lá... Agente tava meio perdido ainda! Rodamos umas duas horas por lá e descobrimos que estávamos mortos de cansados, principalmente pelos quarteiroes carregando malas, e nos arrastamos de volta pro hotel.

Cathedral de Vienna

No dia seguinte, terça feira, mega turistagem, fomos conhecer os muitos palácios habitados pelos hobsburg, família real ao tempo do império autro-hungaro. O que impressiona na austria é o tamanho das construções, uma coisa bem de ostentação de poder mesmo, uma espécie de faraós modernos, aliás essa palavra é ótima pra descrever as construções austricas, são FARAONICAS. Pela manhã fomos a um palácio que não consigo mensurar, só de Palácio eram uns 10x10 quarteirões, além disso o jardim se estendia do castelo, passando por um bosque imenso e se extendendo até uma montanha, muito grande. Montanha aliás que tinha um monumento dedicado aos "soldados mortos" no alto, então subimos até lá.

Frente do Palácio


Jardim... Na verdade é um bosque, sei lá!


Monumento aos soldados mortos em algum lugar...


Visão do alto da colina. Inspiradora! Fiz até uma poesia essa hora, mas perdi ela ao longo da viagem! "DROGA!"

Pela parte da tarde fomos para o complexo de prédios dos Hobsburg, que hoje se tornaram um pouco de tudo, museus, cedes do governo, biblioteca... Visitamos uma praça onde tava tendo “carnaval” com pessoas fantasiadas e tudo, brincado de patinar no gelo. Aproveitamos para almoçar na mesma praça, em um restaurante construido no meio da pista de patins, nessa hora me destaaquei falando com a garçonete, que era muito bonita aliás, em um belissimo bralemão (alemão de brasileiro), mas que ganhou a simpatia da jovem moça, que gentilmente nos ajudou traduzindo o cardápio. Depois disso, continuamos o passeio pelos prédios e museus gigantescos, mas pelo outro lado, passando assim pelo parlamento e museu de história natural... e haja palácio nessa cidade.


Estatua de Mozart, ao fundo outro palácio (pra variar).


Palácio! Nao lembro o que eles são, acho que o da Direita era uma gigantesca biblioteca, e o do fundo um Museu de alguma coisa. Na verdade eles são um prédio único dividido pra atender diferentes funções.


Parlamento Vienense


Museu de Historia Natural, com um simpático elefantinho na porta (estatua)! haha

Admito que o passeio na Austria não foi lá muito legal, primeiro por que foi numa 2ª e 3ª, e depois por que a cidade é meio grande demais, urbana demais, cheia demais de museus e palácios... conhecer isso me deixou cansado só de olhar e sugou meu ânimo.
Partimos então para innsbruck, com a promeça de brincar na neve e ski nas montanhas! ebaaaa! Chega de cultura... Eu quero é cagaaaada! haha

E é isso... Até a próxima!
Um abraço do amigo Europeu.