segunda-feira, 10 de junho de 2013

De volta ao Velho Mundo!!!

Bom, depois de 2 anos, vim fazer um post especial!!! Além de qualquer coisa, um dos objetivos do BLOG eh guardar lembranças. Então, vim aqui para fazer um novo post (talvez mais) para falar da minha mais recente aventura no velho mundo!

 Primeiramente, vou falar alguns posts que fiquei devendo e que pretendo ainda fazer, mas obviamente sem todos os detalhes merecidos, já que para a maioria já passou bastante tempo.
 - No ano de 2010, fiquei devendo vários posts sobre BERLIN, local que eu me mudei por mais três meses quando voltei de Londres. - Enquanto estava em Berlin viajei ainda para PARIS e AMSTERDÃ... E também não fiz comentários sobre esses passeios.
- Ao longo de 2010, 2011 e 2012 morei em Curitiba, Brasil... E sendo eu natural de Belém acho que seria legal ter feito uns posts sobre a minha impressão de lá também. E também nesses anos por lá, fiz algumas viagens legais de serem relatadas... Como um Reveillon em Floripa, October Fest de Blumenau, passeio para a praia de Cananeia, e praia de Vila Velha...
- Em 2011, fui para o Caldas Country em Caldas Novas, que apesar de parecer um destino normal foi muito legal. - Em 2012, no começo do ano fiz uma super viagem com os amigos Lucas, Tainá e Osmar para os EUA. Sim! Foi super legal! E sim... Fiquei devendo um post sobre essa viagem também!
- Em 2013 voltei pra Belém - ahhhhh :( - Mas não tem problema, pois os planos de viajar ainda continuam de pé!

Aliás em 2013 voltei pra EUROPA a passeio... Por 10 dias... E é por isso q voltei aqui... Para postar sobre essa viagem, e guardar mais essa memória! Então... é pelo último tópico que vou começar... A memória mais recente e com mais detalhes para serem guardados... Aliás, acho que vou fazer os posts de trás pra frente! Afinal, as memórias que ficaram dos mais antigos provavelmente nunca se apagarão! VAAAAAAMOS LÁ!

 PRÉ EUROPA
 Bom... Pra começar vamos falar do pré viagem... É importante dizer (novamente) que no ano de 2012 fui com meus amigos para os EUA. E isso é importante para relatar a fase de planejamento da viagem.

 Em 2011, nosso grupo de amigos começou a botar em prática um plano antigo de viajar juntos. E quando digo viajar falo de sair do Brasil... Tipo viagem grande mesmo.

Viajar por aqui é legal, mas não é igual e bem mais fácil. Então eu, Osmar, Lucas e Tainá compramos nossas passagens para os USA em novembro de 2011 e dai em diante foram só planejamento pra viagem (mas isso é assunto do próximo post) e no final foi só festa!
(FOTO DA EKIPE 2012 ESTADOS UNIDOS)

 O fato é que em 2013 tínhamos que continuar viajando! E dessa vez o destino escolhido foi EUROPA!

A escolha se deu em uma reunião por volta setembro de 2012... Assim, o primeiro passo estava dado: TEMOS O DESTINO. PRIMEIROS PASSOS! Nessa altura, o Osmar estava incerto sobre a viagem, já que se mudara para SP e estava cheio de compromissos profissionais. Por outro lado, sabendo do sucesso arrebatador da primeira viagem Juliana estava convencida a viajar conosco.

 A partir daí passamos ao próximo passo: Comprar as passagens! Na verdade esse passo estava meio que ligado a outro: Escolher o roteiro... Que países visitar nessa passagem pela Europa... Além de decidir a data exata da viagem, que estava pré marcada para os mês de Abril, mas sem data de partida e chegada! Como se pode perceber: QUE BELA CAGADA!

Três passos importantíssimos para serem tomados praticamente ao mesmo tempo... Conciliando datas e vontades de pessoas diferentes... Difícil, né? Não! Foi até bem simples: Na reunião seguinte, pegamos o calendário e procuramos os feriados de abril. "FERIADO 01 de MAIO!". É tu mesmo!!! Feriado numa quarta!!! Voltamos então duas semanas e alguns dias e a marcamos a viagem para sexta dia 12! E pronto: "Ebaaaaaaa, vamos passar 20 dias na EUROPA!"

 AS PASSAGENS E A PROMOÇÃO DA TAM
 A partir de outubro então, começamos então a procurar passagens... "A hora que alguém achar uma promoção a gente se liga!!". Passamos em paralelo a tentar decidir que países visitar... A unanimidades eram Londres e Paris! Em outro encontro de bebedeira, ainda em outubro, passamos as escolhas do roteiro... Dada a proximidade e fama, incluímos Amsterdã (amigos querendo pirar o cabeção) e Barcelona (amigos querendo pirar o cabeção x2). 20 dias/4 países... 5 dias em cada!

O pré-roteiro estava pronto. No mesmo dia, o sr. Lucas viu que seria possível comprar as passagens dele com pontos, chegando e saindo por Frankfurt-ALE, e que nos encontraria onde fosse com um simples bilhete de trem! Decididos e impulsivos então, Lucas fez a compra! AGORA NÃO TEM JEITO, VAMOS PRA EUROPA (ou pelo menos, certeza de que o Lucas vai)!

 No mesmo dia, enquanto conversávamos sobre a viagem, um casal de amigos Felipe e Sonia chegaram no encontro. Ao ouvirem um pouco sobre os planos se animaram e TCHARAM!!!! Mais dois membros pro grupo! A essa altura já eramos 6.
 
(Reunião aqui em casa: Os dois da frente são o Felipe e Sonia)

 Passados alguns dias (ou meses), no começo de Dezembro: PROMOÇÃO DA TAM! "Viaje entre os meses de março e maio quase de graça" (pelo menos foi assim que entendi quando li no calor do momento e empolgação). TODOS SE LIGAM: "Vamos comprar!?!?".

Depois de algum debate sobre previsão do futuro se iria baixar o preço ou não, decidimos comprar logo, parcelar a passagem de infinitas vezes e ir sofrer com as dívidas em PARIS! A parte de comprar as passagens efetivamente foi meio dramática. Começou numa sexta anoite em casa e se estendeu por dois dias... que em resumo foi terminar na loja da TAM no aeroporto, pagando um valor mais alto do que o do site no tempo da promoção! E o pior, Felipe e Sonia não conseguiram comprar!

Nessa hora, uma nuvem de tristeza se abateu, apesar de a viagem não ter efetivamente começado, a regra básica do grupo, desde a viagem anterior, já estava valendo: NINGUÉM FICA PRA TRÁS! Felizmente, ao chegar em casa eu raqueei o site da TAM e comprei as passagens do Felipe e Sonia... Assim a felicidade estava estabelecida novamente! E mais... Agora podíamos todos gritar: VAMOS PRA EUROPA!!!

 Nos meses seguintes até a viagem foram acontecendo compras de hotéis passagens de trem, passeios e refinamento do roteiro, mas isso vai sendo apresentado ao longo da viagem! Pra minha infelicidade, nos meses anteriores a viagem, eu precisei voltar para Curitiba pra finalizar minha dissertação de Mestrado... Que, por motivos que não vem ao caso, acabou por se alongar muito mais do que o esperado! O fato é que acabei perdendo uma semana de passeio na Europa.

Assim, minha viagem começou efetivamente no dia 19, partindo direto para Londres, chegando dia 20, e volta marcada para dia 30 de Madrid.

 O retorno ao "MIND THE GAP"
Saí de Curitiba no final da tarde rumo a São Paulo, e de São Paulo para Londres por volta de meia noite! 12 horas de um voo delicioso em uma poltrona desconfortável que todo mundo já sabe e pronto: DE VOLTA AO LAR! Cheguei em Londres por volta de 16:30!!! Aquele frio básico na barriga ao passar pela imigração, mas que foi mais um bate papo com meu conterrâneo inglês do que propriamente uma fiscalização! Em poucos minutos estava liberado... Pronto para voltar a adentrar o caminho das fascinações. 

De entrada, mais uma vez eu volto a me maravilhar com a eficiência do serviço de transporte público londrino. Em poucos minutos eu sai do Aeroporto para o centro de Londres (de carro o aeroporto fica a mais de 30 km de distância do centro). A nostalgia de voltar a ouvir o "Mind the gap" do metrô é fantástica! 

Nosso hostel ficava próximo a estação de trem de St. Pancras. O nome era CLINK 78! Combinei com meus amigos de encontra-los no hostel por volta das 18h, para então iniciar os "trabalhos". Quando cheguei, meus amigos estavam terminando de passear por Nothing Hill, o que me deu tempo para tomar "aquele banho", e deixar todo o suor, calor, poeira e etc, da América do Sul ralo abaixo.

Para essa viagem, ao agendar as hospedagens, resolvemos que seria interessante encarar o desafio de ficar em hostel/albergue (já que na viagem anterior, para os EUA, tínhamos ficado em hotel) para tentar aproveitar o pouco tempo observando uma maior movimentação dos gringos e pessoas na mesma situação que nós! Em Londres, como já disse, ficamos no CLINK 78. Encontramos várias boas referências desse hostel, e ele não decepcionou. Achei bem organizado e limpo, apesar de que o grande número de pessoas não é compatível com o pequeno número de funcionários... Mas como quem vai pra hostel vai pronto pra não querer mordomia, eu não achei nem um pouco ruim. Os banheiros eram individualizados, e os chuveiros mistos.

 Em virtude dos meus problemas pré-viagem, eu perdi o passeio de Amsterdã e tive meu tempo em Londres reduzido a 1 dia e pouquinho, já que iriamos para Paris na segunda bem cedo. O plano era no sábado curtir a night e domingo matar a saudade da cidade. Assim, eu já havia pré planejado o que fazer para aproveitar ao máximo o tempo, e então começou efetivamente a aventura!

 Acho que esse é o momento para que eu apresente todos os integrantes do grupo, para que ao longo do texto, em minhas referências, estejam todos apresentados! Como era esperado, e eu havia adiantado, o Osmar não pode viajar e perdeu a barca.
 
(FOTO DO GRUPO: Alexandre, Eu, Felipe; Juliana, Louize, Sonia; Tainá e Lucas)

 Assim o grupo ficou composto pelo incansáveis Lucas e Tainá, responsáveis por puxar o grupo. FELIPE e SONIA, o casal modelo, prontos pra qualquer parada. E o grupo contou também com ilustre presença das "recatadas moças" JULIANA e LOUIZE, que enquanto eu não chegava, não quiseram segurar vela e formaram as "mycouplezinha" uma da outra. (A Louize eu sequer conhecia até aquele momento, exceto por mensagens de texto do whatsapp e Facebook).

 Viajando desde o dia 12, esse povo todo ae tinha ficado de sábado até terça em Amsterdã, passaram a quarta em Bruxelas e chegaram a Londres no final do dia. Assim, a essa altura, já estavam passeando pela "Cidade da Rainha" a 3 dias, e juntos a uma semana... Então, dá pra imaginar o número gigantesco de piadas internas e histórias que eles haviam acumulado até eu chegar... Foi bem difícil para mim me integrar (mentira! Nem foi... Até porque prefiro pensar que enquanto eu não estava eles não aproveitaram nada, haha).

 WE WILL ROCK LONDON
Realizadas as apresentações, vamos aos acontecimentos. Por volta das 19h, com o grupo todo reunido, estávamos saindo para tentar comprar ingressos de última hora para algum musical. Nessa altura já estávamos um pouco atrasados para esse plano, mas não o suficiente.

Fizemos a primeira parada obrigatória em um PUB para degustar a primeiro de muitos drinks e tirar o atraso de 8 dias perdidos! Quisera o destino que fosse em um PUB próximo ao hostel de nome "LUCAS PUB", ou algo que remetesse ao nome do Lucas, o que fez com que ele obviamente se achasse o dono do lugar! :D

 
Começando os trabalhos: O primeiro brinde de Londres

 Nos encaminhamos então para a área de Convent Garden e Leicester Square, região bastante badalada do centro de Londres, e que fica próximo aos teatros onde os musicais acontecem. Saindo da estação e caminhando poucos metros foi bem fácil encontrar vários pontos de vendas de tickets de última hora para os musicais. Escolhemos o espetáculo "We will rock you", que começaria em poucos minutos a algumas quadras dali.

Saindo da lojinha então tome correria pelas ruas de Londres! Quando chegamos o show já havia começado, mas nada demais. Ficamos de pé alguns minutos enquanto acompanhávamos um pouco da apresentação. As meninas logo encontraram lugares vagos e sentaram até o intervalo, quando então nos encaminhamos mara nossos lugares efetivos.

 O espetáculo é uma história que usa as músicas da Banda Queen para ilustrar os acontecimentos dos personagens. Vou copiar aqui uma parte da sinopse feita pelo site "cafécompop.com":

 "Em um futuro não muito distante, instrumentos musicais não existem e apenas a música eletrônica é ouvida por todos. Um jovem chamado Galileu carrega o rock na veia e decide lutar para que o estilo volte e as pessoas se libertem – e, claro, vai contar com a ajuda de uma garota e um grupo denominado The Bohemians. Essa trama simples é que move o musical “We Will Rock You”, em cartaz no Dominion Theatre, em Londres (Totteham Road Station). Como o próprio nome já sugere, “We Will Rock You” possui 31 sucessos da banda inglesa Queen, comandada por Freddie Mercury. Em cartaz há nove anos, o musical encanta e emociona até mesmo os que não são fãs da banda, mas, no mínimo, curtem o bom e velho rock n roll. Com duas horas e meia, e um intervalo de 15 minutos, vemos uma grande produção que homenageia o rock, e até o pop, com referencias aos Beatles, aos Rolling Stones, à Take That – boy band liderada por Robbie Williams nos anos 90 – e até a Madonna."

 É um show mesmo!!! Como era de se esperar, MUITO BOM! Artistas que cantam muito, com uma super produção e história e músicas empolgantes que fazem o público delirar. Vale muito a pena!

 Saindo do espetáculo o plano era BALADA! O local escolhido foi o "O'nells", um PUB bem tradicional no centro de Londres, também na região de Convent Garden. O local tem três andares com ambientes bem diferentes. No térreo fica a parte de restaurante e bar, é o setor mais "PUB" do lugar, e que logicamente na chegada, aproveitamos para jantar! O segundo andar, é o mais parecido com uma boate, com música alta e variada, muita gente dançando e o tradicional calor, que dá aquele clima de "tamo junto", e foi onde ficamos a maior parte do tempo. O terceiro andar é onde rola a música ao vivo, e que sempre que eu fui, inclusive dessa vez, era uma banda de rock inglês, ao melhor estilo Snow Patrol.

  foto do grupo no o’neills

 Ficamos na casa até por volta de 4 da manhã, com direito a muita bebida a noite toda, encontrar outros brasileiros, mão na bunda, beijos, pegação, gente tirando a blusa, mamilos molhados, ponte, danças até o chão, Lucas arranjou um amigo pra vida inteira... Primeiro dia em grande estilo, e pra completar a volta pro hostel de madrugada de ônibus noturno, como não poderia deixar de ser... uma grande cagada! Mas no fim, salvaram-se todos!

 RAPIDINHAS TAMBÉM PODEM SER BOAS!
 No dia seguinte correria!!! Todos ficaram descansando da noitada e eu aproveitei a manhã para passear. Fui direto para o BigBen, e chegando lá: "Maratona de Londres"! Eita sorte, eihn? Não dava pra atravessar a rua... Tudo fechado... Confusão!!! Dei um jeito e fui caminhando até Green Park e até o Palácio de Buckingham. De lá fui até a National Galery, na Trafagal Square, minha galeria preferida na Europa, e onde combinei de encontrar o resto do grupo. Por volta de meio dia e meia nos encontramos e partimos rumo a Camden Town, onde almoçamos e passamos a tarde passeando!

 
foto Trafagal Square e National Galery

 No fim da tarde retornamos para o Hostel para nos prepararmos para a night! Para esse passeio FELIPE E SONIA pularam fora, e preferiam ficar descansando. O plano do dia era ir para o centro e ir de pub em pub conhecendo o máximo de lugares possível. Após alguns lugares, decidimos por fazer um circuito de pub's conhecido como PUB CRAWL, onde em cada lugar que entramos tínhamos direito a um shot.

Conhecemos 5 lugares, ficando cerca de 30 minutos em cada um. Destaque especial para o 4 lugar, o Zoo Bar que estava bem animado, lotado, mas com pessoal com um problema especial de desodorante vencido, e o último, que era o lugar mais parecido com uma boate, onde estava rolando um concurso de dança bem estranho e a Tainá presenciou cenas fortíssimas que a deixaram com sérias dúvidas se seria o caso de sexo explícito ou não (apesar dos movimentos indicarem que sim, para a Tainá "não era nada"! Hahahaha).

 Então, voltamos cedo para o hostel nesse dia, já que no dia seguinte, segunda, bem cedo estaríamos indo para PARIS! Por sorte, como já disse, nosso hostel ficava bem próximo a estação de St. Pancras, local de onde sai o EuroStar rumo a PARIS.

 
#PARTIUPARIS

 BONJOUR PARIS
 Chegamos então a PARIS na manhã de segunda, após uma belíssima dormida de duas horas no trem! Todos revigorados, chegamos a Gare du Nord por volta de 11h e nos encaminhamos até o hostel, St. Christopher Inn, na região nordeste de Paris, na beira do canal "Quai de la seine", que dava todo um charme pro lugar, a cerca de 15 minutos de caminhada da estação.

 Ao chegar no hostel tivemos que esperar até 13h para deixar nossas coisas no quarto, então aproveitamos para almoçar e ficar pronto para sair logo após deixarmos nossas coisas. Esse hostel foi para mim uma grata surpresa. Banheiros bem grandes e limpos. Quartos grandes e arejados. A única crítica é que por algum motivo o hostel estava lotado de adolescentes o que fez perder um pouco do clima de "gente estranha viajando com uma mochila na costa pronta para fazer novos amigos e conhecer novos lugares" para um clima de "crianças na festa do pijama", mas nada que atrapalhasse nosso passeio ou conforto no local de qualquer forma.

 Antes de sairmos para o primeiro passeio de Paris eu finalmente conheci o Alexandre! Amigo da Louize que também veio pra Europa, mas até então não andava com todos, tinha outros amigos em Amsterdã e Londres, então só se juntou ao grupo em Paris.

 Aproveitamos a tarde de segunda feira para ir a basílica de Sacre Coeur e sua infinita escadaria, mas que é um passeio imperdível para conhecer a arquitetura e riqueza de detalhes da basílica. A basílica fica em Mont Matre, região ao norte de Paris, e aproveitamos para conhecer a região do Molin Rouge e o Café onde foi gravado o filme da Amelie Poulain, todos por ali por perto.

 
foto no Sacre coeur

 No fim da tarde, como fizemos esse caminho relativamente rápido partimos rumo a Torre Eiffel, para tentar curtir o por do sol no trocadero. Após algumas fotos, descemos as escadas do trocadero e deitamos na grama para descansar um pouco e curtir um pouquinho o momento.
 
foto trocadero

 Depois de um tempo os chafarizes foram ligados e nos expulsaram de lá. Mas tudo bem... O objetivo já tinha sido alcançado... A memória daquele momento já ficou gravada para sempre!

 HORA DO BISTRÔ!
 Depois de lá atravessamos a ponte em direção aos pés da torre! Contemplamos a grandeza daquela construção por um breve momento (bem breve mesmo... já que o povo quando tá com fome e cansado não quer nem saber se está em Belém, em Paris, no Japão, ou no Inferno... Só querem é comer e descansar)!

 Continuamos caminhando para a estação de metrô mais próxima para nos encaminharmos para algum lugar para jantar. Em Paris existem tantos bistrôs quanto PUB's em Londres. Basta caminhar algumas quadras no centro para perceber que são vários deles com cardápios variados, mas com o mesmo padrão de garçom metido a besta, cadeiras estilizadas e decoração "refinada".

 Caminhamos então procurando um com preços de vinhos e comida aceitáveis (ACEITÁVEIS, porque barato mesmo não é), sentamos e passamos uma ótima noite comendo uma comida e vinho deliciosos, falando muita bobagem e rindo muito e, principalmente, ficando com muita raiva do jeitinho esnobe do garçom! Pensando bem, ele nem estava de má vontade, ele apenas tinha um jeito insuportável de ser!

 
Bistrô

 A noite terminou como de costume: todos bêbados e tentando voltar pra casa olhando mapas e tentando achar algum francês com boa vontade de falar inglês para no ajudar!

 FRANCÊS BOM E FRANCÊS MAU!
 Na terça combinamos de fazer o super tour cansativo e super corrido de Paris! E com isso quisemos dizer: Ir para o Arco do Triunfo, subir todas as infinitas escadarias e ter uma super visão panorâmica de Paris, voltar caminhando pela Champs Elysses, obviamente aproveitando todo o charme da rua mais famosa da Europa, até chegar no Obelisco.

Na praça da Concordia, onde fica o obelisco paramos para "almoçar" um crepe... E mais uma vez nos deparamos com um excelente exemplar de atendimento francês... Uma vendedora de crepe muito mal humorada que nos deu um péssimo atendimento, mas pelo menos o crepe estava gostoso.

 
 Foto no ARCO DO TRIUNFO

 Então seguimos pelos Sena, conhecendo as pontes, o Jardim de Tulipas e chegando a entrada do Louvre, e aquele Pirâmide de vidro especialmente única. Não entramos ainda...

 

 Continuamos pelo Sena até a prefeitura e depois atravessamos para ile de la cite para ver o Notre Dame, e tentar dar um alô ao corcunda e suas amigas gárgulas.

 
foto na prefeitura e Notredame

 Dai seguimos para a estação de Gare du Nord para agendar nossa partida para Barcelona na sexta. Então fomos para o hostel para trocar de roupa e sair para jantar. Para achar algum lugar para sair, nos arriscamos primeiro na área do Mulin Rouge, mas logo percebemos que lá não seria o melhor lugar. O ambiente meio soturno e casa de sadomasoquismo tirou um pouco da nossa vontade de permanecer no lugar... Então por sorte achamos um raro francês de boa vontade, ao tentar conversar com ele surpreendentemente descobrimos que ele falava português, então ele nos indicou uma região chamada Chatelet, e foi pra lá que fomos...

Não poderíamos ter achado um lugar melhor para passar a noite. A região é cheia de bares e restaurantes, ou Bistrôs... A noite é bem animada, mesmo para uma terça feira. Encontramos um bar ao melhor estilo PUB inglês que teria uma banda de pop rock que estava prestes a começar... Então da pra imaginar: BEBIDA + MUSICA = NOITE DE DIVERSÃO SEM SABER VOLTAR PRA CASA (denovo). Em meio a muita cantoria desafinada (da nossa mesa) e muitas conversas e risadas, o Lucas inclusive ganhou uma das canecas do lugar em um sorteio de última hora que rolou de forçadamente no lugar.

 Na hora de voltar pro hostel, depois de muito procurar e pedir informações (e nesse caso vários franceses tentarem bastante nos ajudar, inclusive mais um deles arranhou um português) finalmente desistimos e decidimos pegar taxis. Nesse caso foi útil para mais um aprendizado: Taxis em Paris tem preços que realmente valem a pena... Atravessamos a cidade até o hostel por cerca de 12 Euros... Dividindo por 4 pessoas bêbadas e cansadas eu diria que valeu bastante a pena.

 OS ENCANTOS DOS CHATEAUX E JARDINS
 Na quarta acordamos cedo para partir rumo ao Chateau de Versailles. Depois de uma longa viagem finalmente chegamos a Versalhes. A cidade é próxima a Paris, e foi onde a realeza francesa passava seus verões, e durante o reinado de Luiz XIV se tornou a moradia oficial da corte francesa, então da pra ter uma idéia de todo o chame que o lugar mantêm. Os jardins do palácio são a melhor parte do passeio, que incluem um labirinto vivo, muitas fontes, um enorme lago e um ótimo gramado. Ótimo inclusive para deitar, e foi o que fizemos e comemos e bebemos e cochilamos...
 
Jardins de Versailles

 Deixamos a visita ao palácio para depois do almoço, pela manhã filas absurdas, a tarde nem tanto... Ainda filas, porém mais aceitáveis. O palácio era bonito e cheio de detalhes conservado da riqueza e luxo da monarquia francesa... Mas para mim, como já disse, a melhor parte ainda é o jardim!

 Seguimos então, já por volta das 16h, de volta para Paris, e em meio as indefinições de roteiro optamos por voltar ao hostel para dessa vez seguir cedo para os passeios noturnos. O que obviamente não deu certo... O passeio noturno nesse dia era um passeio de barco pelo Sena, indo até a a torre e voltando contornando a ile de la cite! E chegamos para o último horário por volta de 21:30.

O passeio é belíssimo e proporciona uma ótima visão da cidade, especialmente das pontes e é claro da Torre Eiffel. Além disso, foi ótimo ver uma forma peculiar de diversão da juventude francesa no verão: jovens de vários tipos e idades e "tribos" sentados com os amigos a beira do Senna com uma garrafa de vinho.

 
 Passeio pelo Sena

 Ao final do passeio resolvemos novamente ir até o Chatelet tentar a sorte! Afinal, se estava bom numa terça, na quarta certamente estaria melhor. E digamos que estava mais movimentado, mas não tivemos a mesma sorte em relação ao lugar... Dessa vez paramos em um Bistrô comum com vinho gostoso e preço razoável. E depois de algumas garrafas retornamos para o hostel.

 O dia seguinte, a quinta feira, foi o dia mais tranquilo da viagem... Sem obrigações turísticas oficialmente decidimos visitar um museu "lado b", o de Rodin, depois ir até os Jardins de Luxemburgo e passear pelo Cartie Latin. O museu valeu bastante a pena para conhecer um pouco mais a fundo as obras do artista, além de muitas das esculturas estarem espalhadas pelo grande jardim que existe no museu.

 Saímos então do museu por volta de meio dia rumo ao Jardim de Luxemburgo, no qual após um curta caminhada, apesar de também ter um enorme palácio de Luxemburgo, mais uma vez nos aproveitamos do dia ensolarado e deliciosa grama para relaxar.

 
Jardim de Luxemburgo

 Saímos do Jardim para procurar algum lugar para almoçar no Cartie Latin, e encontramos um ótimo restaurante/bar/pub que time uma ótima comida e mais que isso uma deliciosa cerveja, mas que eu não saberia nem de perto o endereço do lugar, já que foi uma feliz coincidência.

 Ao sair de lá, após muita insistência da Tainá, começamos a procura por uma sorveteria, a AMORINO! Após caminhar um pouco no sentido que uma funcionária do bar nos indicou, uma moça na rua foi avistada com um copinho da dita sorveteria... E pronto começou um super escândalo na rua em direção a jovem moça falando português/espanhol/linguagem corporal/linguagem dos homens das cavernas: "você... copo... eu... querer... onde...". Mas que a moça gentilmente sorrindo apontou o caminho! E é valido dizer que uma super dica para quem visitar Paris é perder um tempinho procurando essa sorveteria. Os sorvetes são bem diferentes e gostosos.

 Depois disso fomos até a região central de Paris, próximo ao grande teatro, para um setor de lojas... Já por volta das 22h retornamos ao hostel onde ficamos no bar, depois saímos para comer KEBAB nas redondezas e voltamos para boate dentro do próprio hostel.

 
Opera Garnier

 AU REVOIR PARRIS
 A sexta feira estava reservada apenas para o Louvre já que iríamos viajar no fim do dia, não queríamos correria e tínhamos que desocupar os quartos as 12h. Pela manhã bem cedo arrumamos tudo, tomamos o que seria último banho de Paris e guardamos as mochilas nos armários já fora dos quartos.

Em seguida partimos para o Louvre, onde optamos por ver a tradicional Monalisa e Venus de Milo, além de um breve passeio para ver as pinturas dos principais artistas dos séculos XVI a XVIII. Após isso, voltamos para o hostel para beber e esperar a hora do grupo se separar.

Lucas, Tainá e Louize iriam para Barcelona de avião e deveriam estar no aeroporto as 18, então as 15 nos despedimos. Já o restante do grupo, incluindo a mim tínhamos que pegar o trêm noturno as 22h. Então, após o grupo ir embora, demos um jeitinho para burlar a entrada no andar dos quartos e banheiro e fomos tomar mais um banho antes da viagem!

 Depois de toda a correria as 18 estávamos prontos para ir para a estação... Pensando em chegar tranquilamente para jantar qualquer coisa antes de embarcar nos adiantamos para ir logo para a Gare du Nord. O problema é que chegamos lá já por volta das 19:30 e viemos a descobrir, depois de muito procurar, que a estação que nosso trem sairia era do outro lado da cidade! Mas pelo menos ainda tínhamos muito tempo sobrando e chegamos por volta das 21:20 na estação correta.

 Para nossa grata surpresa o trem noturno disponibilizava camas para os passageiros... Assim, nossa viagem noturna no trem foi a melhor possível. Primeiro acabamos todo o vinho que havíamos comprado horas antes no super mercado, bem como todos os petiscos. Assim, falando por mim, quando fui dormir nem percebi o tempo passar... Desmaiei poucas horas depois de embarcarmos e acordei chegando em Barcelona. Melhor impossível.

 
Cabine do Trem

 VIVE LA VIDA LOCA
 Chegamos a Barcelona as 9 da manhã. Para começar bem, chegamos debaixo de um pau d'água. Ou melhor, nossa passagem por Barcelona de 3 dias foi toda cheia de chuva. Tomamos então um táxi rumo ao hostel que ficava próximo a Plaza de Catalunya. Ao chegarmos lá, o resto do grupo já estava nos aguardando desde a noite anterior. Deixamos as bagagens e partimos debaixo de chuva rumo ao primeiro dia de passeio!

Demos uma rápida paradinha na Starbucks torcendo por uma trégua da chuva, o que não ocorreu. Partimos então de metrô para o Arc de Triomf, de onde inciarímos uma caminhada passando pelo parc de la ciutadella até a região do bairro gótico. No meio do caminho as meninas debandaram! Após passarmos pelo parque levando em conta que a chuva estava longe de parar, as meninas optaram por ir almoçar e retornar ao hostel.

 
Arco do Triunfo de Barcelona

 Na saída do hostel Lucas, Tainá e Louize nos contaram de como as acomodações não foram satisfatórias, e no caminho para a Plaza de Catalunya encontramos uma filial do nosso hostel de Paris, o St. Christofers. Entramos para perguntar os preços e quem sabe, se fosse o caso de prejuízo mínimo, trocarmos de hostel. Rapidamente estava decidido, trocaríamos de hostel então. Como as meninas haviam abandonado o grupo, e teriam um tempo livre, elas ficaram incumbidas de fazer a mudança das malas do hostel antigo para o novo.

 Seguimos então, Felipe, Lucas e Eu para uma aventura inesquecível e emocionante por entre os becos da parte gótica de Barcelona, passando pelas atrações da cidade, uma após a outra, de forma determinada e destemida! Na verdade, caminhamos por essa parte da cidade olhando os principais prédios históricos, e sempre que possível parando para beber uma cerveja no próximo PUB que avistássemos.

Aliás, foi em uma dessas paradas que comemos o que ficou conhecido como A MELHOR PAELLA DA VIAGEM! Em umas das ruelas estreitas do bairro gótico a chuva continuava a nos atormentar e a fome começou a bater, quando de forma inesperada surge um restaurante com a melhor das caras de comida de vó, com preços de cerca de 10 euros por pessoa para a paella completa! "É aqui mesmo!", exclamamos! E para nossa grata surpresa, fui um raro tiro de sorte vendados no escuro. Comida deliciosa!

 Seguimos a caminhada até atravessar o bairro gótico, desembocando na famosa Rambla, de lá caminhamos até a Plaza de Catalunya e estávamos de volta para encontrar as meninas. Ao chegar no hostel, as meninas que tinham ficado com a missão de transferir as malas, obviamente não o fizerem. Pegaram apenas as malas próprias. Assim, tivemos que ir até o hostel antigo pegar nossas bagagens nós mesmos

 

 Feita a mudança, estávamos já no final da tarde e nos arrumamos para jantar então. Dias antes havia entrado em contato com um amigo que está morando em Barcelona e que gostaria de encontrar por lá para alguma "farrinha".

Encontramos então com o Tarcísio na Plaza de Catalunya e seguimos para procurar um local para jantar. Encontramos um lugarzinho bem gostoso bem próximo a praça, mas que estou longe de lembrar o nome, mas que se alguém me levar para Barcelona como guia posso chegar lá facilmente! Depois do jantar, fomos para um bar/casa noturna chamado POLAROID localizado por entre os becos próximos a Rambla (esse lugar eu certamente não saberia encontrar).

Fomos para lá por indicação do Alexandre, que nesse dia estava aniversariando e havia decidido que sua festa seria ali. De fato o lugar era bem legal, para mim foi mais ainda pois encontrei outro amigo que também estava morando em Barcelona, então foi uma grande festa.

 Por volta de 00h, decidimos sair dali e ir para uma boate conhecer a verdadeira noite barcelonista. Infelizmente as duas boates que meus amigos nos levaram estavam lotadas e não conseguimos entrar. Nessa hora nos demos conta de que a Louize havia esquecido “algo” no Polaroid, então tivemos que voltar lá para buscar. Meus amigos “locais” acabaram se separando do grupo nessa hora, e depois que saímos do grupo houve nova divisão no grupo, com alguns integrantes que resolveram debandar e voltar para o hostel e dormir.

Pra resumir a história, a parte do grupo que permaneceu na “guerra” acabou conseguindo entrar em uma das boates que não havíamos conseguido anteriormente, e curtiu a balada até quase amanhecer!!! (obviamente eu estava no grupo que permaneceu firme e forte na farra).

 DOMINGO CHUVOSO
 Mais uma vez acordamos esperançosos de que o sol se abriria para nós e nos aqueceria com seu calor, trazendo vida e alegria para nossa estadia em Barcelona. Triste ilusão! O tempo continuava fechado e levemente “chuviscoso”.

A pouca trégua que a chuva deu, nos serviu para descer a Rambla do Plaza de Catalunya até o Monument a Colom e Carrer del Mar. O monumento a Colombo era uma estátua do próprio em cima de uma alta coluna! E a Carrer del Mar é um caminho por entre uma das marinas de Barcelona e que leva a um Shopping, que obviamente não entramos.

 
O Monumento a Colombo (ou parte dele)

 
Carrer del Mar

 Saindo de lá resolvemos pegar o metrô para agendar nossas passagens para Madrid, na terça feira bem cedo. Ao sair da estação, com o clima ainda chuvoso o cansaço do dia anterior se abateu sobre o grupo. E então todos resolveram voltar para o hostel e descansar. Todos menos eu, que uma vez que estava tão perto da praia, mesmo com o tempo daquele jeito, não poderia deixar passar a oportunidade de conhecer o local.

 Saí caminhando em direção as praias. Caminhei pelo litoral do Hotel W Barcelona até o porto olímpico. As praias pareceram bastante comuns, mas de fato queria ter tido a oportunidade de ver aquela paisagem em um dia ensolarado e cheia de pessoas. Ao longo do litoral existiam muitos bares e pontos para se parar, comer e apreciar o horizonte, mas que infelizmente o clima não deixava nada convidativo.

 
Praia de Barcelona

 De lá voltei caminhando pela Vila Olímpica até a estação de metrô mais próxima, para então retornar para o hostel.

A noite estava reservada para um jantar com o grupo todo reunido para comermos PAELLA e tomarmos SANGRIAS! Para isso caminhamos até a Gran via de les corts Catalanes, que é uma rua com uma grande calçada com bistrôs espalhados por essas calçadas. Encontramos um restaurante com paellas e sangrias variadas e arriscamos!

Mais uma vez ótima opção (não sei se todos os restaurantes que íamos eram bons, mas sempre comíamos muito bem). Pedimos paellas de vários gostos e ingredientes... Desde vegetarianas até com frutos do mar. As sangrias estavam ótimas, com direito ao Felipe nem perceber que estava ficando bêbado, e a Tainá, que nunca gosta de nada, achar gostoso!

 Saindo do jantar decidimos descer a rambla para encontrar alguma festa animada para passar o resto da noite. No caminho Tainá e Lucas voltaram para o Hostel, e encontramos novamente o Tarcisio no meio do caminho. Fomos para a Plaça Reial onde entramos numa das boates do local. Lá dentro muita música animada e bebida, além de estar rolando uma despedida de solteiro nesse dia. Para um domingo chuvoso a noite acabou super bem.

 COMO SEMPRE CORRERIA
 O último dia em Barcelona começou como todos os outros: muito chuvoso. Mas dessa vez não tinha jeito tínhamos que fazer o máximo possível para conhecer a cidade, mesmo que debaixo de chuva. O grupo todo resolveu tomar os ônibus de turismo na tentativa de maximizar o tempo e fugir da chuva.

Eu preferi uma alternativa independente e, sozinho, fiz meu próprio roteiro. Resolvi começar pelos pontos mais distantes e fui direto para a Sagrada Família, a catedral interminável de Gaudí (e que vai demorar mais uns 100 anos – sem exagero - para ser finalizada) e em seguida, do outro lado da cidade, o Camp Nou, estádio do Barcelona e parada obrigatória para os amantes do futebol.

 
Sagrada Família

 O estádio do Barcelona é um show a parte em matéria de futebol e marketing esportivo. Dentro do estádio pode ser feito um tour pelo estádio e existe um setor de Museu que trata como Deuses gregos os principais jogadores da história do clube, com destaque inclusive para Maradona, Romário, Ronaldo Fenômeno e é claro o Ronaldinho. Televisões por todo lado exibindo as conquistas do clube, uma galeria gigantesca de troféus, setor de interatividade para tirar fotos ou escolher jogadas específicas para rever de qualquer tempo da história do clube. Obviamente depois de se maravilhar com tudo, o tour termina na loja do clube, com souvenires de todo tipo, desde camisas oficiais até cuecas do clube. Impossível não comprar nada.

 
Camp Nou: Mes que un club

 Saindo de lá fui para a Plaça d’Espanya, e de lá caminhando para o Montjuic, e suas majestosas fontes, e onde no topo pode se chegar ao Museu Nacional de Arte da Catalunha e se tem uma visão panorâmica diferenciada da cidade de Barcelona. Depois disso continuei caminhando pelas ruas estreitas das proximidades, praticamente contornando o Parc de Montjuic, até chegar novamente ao Monument a Colom. Para então retornar através da Rambla até o Hostel.

 O fim de noite de segunda foi bem mais calmo, já que estávamos programados para partir na manhã seguinte bem cedo. Felipe e Sonia não quiseram sair. A Louize tinha se separado do grupo de meninas e resolver continuar seu passeio por contra própria até altas horas. O restante de nós saiu para jantar, e aproveitar a oportunidade de estar na Espanha e comer a paella original mais vez. Depois de um excelente jantar na Plaza Reyal voltamos para o hostel.

As meninas logo subiram para arrumar as malas, enquanto Lucas e eu ficamos no bar do hostel um pouco mais curtindo a música e a movimentação, além de assistir a semifinal do paulistão entre Santos e Palmeiras que passava na televisão. HALA MADRID! A terça feria prometia ser bastante corrida, já que amanhecemos em Barcelona e os planos incluíam embarcar para o Brasil de Madrid no final do dia!

 Saímos muito cedo de Barcelona para Madrid. Ao chegar na estação na capital espanhola logo guardamos nossas malas e partimos para o tour relâmpago pela cidade. Pegamos o metrô direto para Puerta del Sol, região central cidade para então decidir o que fazer.

Ao chegar lá a praça estava lotada de alemães... Sim alemães! Os torcedores do Borussia Dortmund haviam invadido Madrid para o jogo da semi-final da Champions League. Na praça procuramos o ursinho símbolo da cidade para tirar foto. Depois de procurar bastantes, acreditando que seria uma estátua bem grande, nos deparamos com uma estátua comum... Um urso e uma árvore... Nada demais.

 
foto do ursinho de Madri

 Seguimos então pela Calle Mayor rumo ao Palácio da Família real espanhola. Pelo caminho paramos para tirar foto da Plaza Mayor. Um pouco mais para frente paramos na Plaza Villa, com suas três construções importantes que o guia falou e eu não lembro mais.

 
foto na Calle Mayor
 
Plaza Villa

 Continuando pela Calle Mayor passamos pela Iglesia del Sacramento, pra finalmente desembocar na Catedral de Santa Maria la Real de Almudena, que fica bem em frente ao Palácio Real, palácio esse que chegou-se rapidamente a conclusão e consenso do grupo de ser bem mais bonito que o badalado Palácio de Buckinham.

 
Palácio de Madrid

 Passeamos um pouco mais pela Plaza Oriente vizinha ao palácio, tempo suficiente para começar a chover, o que nos levou a buscar refúgio em um restaurante nas proximidades. O restaurante pertencia a argentinos que nos atenderam super bem e conversaram bastante conosco, mas que, levando em conta a rivalidade Brasil-Argentina, provavelmente cuspiram na nossa comida. Haha.

 
Plaza Oriente

 Após isso então começamos o caminho de retorno a Puerta del Sol por um caminho alternativo. As meninas foram até em uma feirinha que encontramos pelo caminho, tempo que eu e Felipe aproveitamos para tomar a alguns chopps num PUB ali próximo. Chopp esse que aliás nos fez cumprir nossa obrigação básica de beber em cada lugar que nós visitássemos.

 então por volta das 18 horas para a estação de trem, para buscar nossas bagagens e rumar para o aeroporto para assim poder despachar a bagagem, jantar com calma, tomar nosso pré-banho antes do embarque e gastar o resto do tempo no Duty free.

 E assim teve fim nossa aventura na Europa, com a inevitável, longa e melancólica viagem de volta. E mais algumas horas de espera no Rio para embarcar de volta a Belém. E principalmente, todos com aquela sensação de "quero mais" no coração! E que se tudo der certo haverão muitos outros momentos mais!

 É isso! Abraço a todos...
Até a próxima.

 

quarta-feira, 26 de maio de 2010

JOGO DO BRASIL!



Opa, olá novamente. O post de hoje é ainda sobre londres, sobre um tema que esquecí de falar! O jogo do Brasil com a Irlanda. Sim, a despedida da seleção canarinho. O último jogo oficial antes da copa do mundo. E o local escolhido foi o EMIRATES. Sim, isso mesmo. O emirates stadium do meu poderoso Asenal. No coração de Londres. Dá pra imaginar a minha felicidade em poder ir assistir esse jogo? Muita sorte minha estar em Londres justamente nesse periodo. Se eu tivesse planejado não daria certo.

A história toda começou com a notícia de que o jogo seria em Londres. Rapidamente a noticia se expalhou pela escola entre os brasileiros, e começou a mobilização pra comprar os ingressos. Só ficou faltando abrirem as vendas! haha. O que causou um certo desespero, já que não se sabia muito bem se haveriam ingressos pra todos, afinal era a seleção brasileira!!! Acreditava que o estádio fosse ficar intupido, mesmo que por ingleses admiradores do bom futebol.

Pra minha surpresa a compra do ingresso foi super fácil e tranquila, aliás eu comprei uma semana depois que abriram as vendas, mas meu irmão só comprou uma semana antes do jogo, e tranquilamente conseguiu o ingresso. Aliás comprarmos separados foi um problema pois o EMIRATES tem lugares marcados, entao acabamos sentando separados!

No dia do jogo, eu, Danilo e Leandro resolvemos ir ao centro da cidade, no Piccadilly Circus pra na loja da nike comprar uma camisa do Brasil. Doce ilusão! Chegando lá, em lugar nenhum, loja nenhuma, não se via camisa nenhuma! A partir daí comecei a me ligar que o jogo do Brasil para os ingleses não era lá grande coisa... principalmente por que ter camisas do Brasil seria uma otima oportunidade de ganhar dinheiro, mas muitos sequer sabiam que o jogo iria acontecer, aliás era uma terça-feira normal em Londres. Normal, mas o centro da cidade já estava super cheio de brasileiros, ecutavamos mais portugues do que ingles nas ruas.

Enfim, decepcionados, e sem camisa do Brasil, mas vestidos de Paysandu, nos encaminhos para o estadio. Tinha marcado de na porta da estação encontrar as amigas da escola com quem comprei os ingressos e assistiriamos juntos o jogo. Detalhe uma baiana que nunca tinha ido a jogo nenhum no estádio e uma japonesa! haha. Super companias experientes em jogo. Mas de qualquer forma a concentração foi toda junta com a galera: Danilo, Leandro, eu, as duas, além dos amigos da escola do Danilo, dois brothers dele, e o grupo de amigos do Leandro, em 4 pessoas. Dai já viu a galera reunida.

Dentro do metro já estava no clima do jogo, cheio de brasileiros com a amarelinha e irlandeses com as tradicionais camisas verdes, o que deu um colorido super legal em verde e amarelo (mal eles sabem que estavam ajudando nossa torcida). Na saída do metro como eu deveria ter previsto, uma mega multidao de gente, e logicamente que eu nao encontraria as meninas facilmente. Por outro lado, da porta da estação avistamos uma barraquinha (uma especie de camelo) vendendo camisas e banderas do brasil. O portunidade perfeita! É essa camisa mesmo que vai! rá! Chegando na barraquinha as meninas, minhas amigas, estavam lá também! Pura sorte, tudo perfeito! Todos fardados! Vamos para o jogo!

No caminho enquanto esperavamos o grupo do Leandro, compramos umas geladas e ficamos na rua bebendo! Esse detalhe é importante pois é proibido beber na rua em Londres, mas com um estádio de brasileiros reunidos quero ver qual a lei que é respeitada. Ainda mais lei seca! ae que nao cola mesmo! Grupo todo reunido rumamos para entrar no Estádio!
Cara, na hora de encontrar nossas cadeiras eu nao acreditei. No post sobre o jogo do arsenal eu expliquei a estrutura do estádio! Nossos ingressos eram para o anel inferior (na altura do gramado) e quase no centro. Resumindo: eram praticamente os melhores lugares! Naquela hora vi como valeu a pena ter comprado os ingressos adiantado! Fiquei super feliz com a surpresa! haha.



O Estadio nao estava completamente lotado. Na verdade estava bem confortovel! Arrisco dizer que com metade da capacidade. As torcidas fizeram uma festa bem legal, e tinha um numero bem grande de irlandeses, obviamente visinhos nao poderia ser diferente, afinal muitos iralndeses moram em Londres, que rivalizavam nos gritos, mas que como já disse por estarem usando verde, dava a impressao que o estadio era totalmente nosso.

Bom, daí vem o jogo. Quem viu o jogo sabe que não foi lá grande coisa! 2x0. Primeiro gol contra, e o segundo gol do robinho. Joguinho bem feinho ao estilo dunga, mas que valeu muito a pena pela festa. Principalmente por que nao faltou o principal, os gols! Super festas de comemoração ao melhor estilo caloroso brasileiro, até os derrotados irlandeses entraram na festa! Ah, a famosa "ola" rolou, e com um ingrediente bem legal, antes da "ola" chegar na gente, todos começavam a bater os pés no chão, o que deixava tudo tremendo, tremendo, e ia aceletando até que: "oooooláááá"! haha! Super legal! Além disso, muitas pessoas com placas de filma eu galvão, eu deveria ter feito a minha, mas me intimidei! haha. Mas apesar disso, minha avó disse que me viu na TV! hahaha! viva as avós!!!!

Dia totalmente demais! super sorte! tudo super bem e tranquilo! Felicidade total!

Desculpa pelas fotos, ou falta delas! Esqueci de pegar as das outras maquinas... e dai sabe como é foto... demorou pra pegar, praticamente ja era! haha

É isso! abraço a todos!
Até a próxima!

domingo, 2 de maio de 2010

Tchau tchau Londres!

Opa, aproveitando o começo de mês, vamos terminar os posts sobre a 1a parte da viagem, sim sim sim, o post de hoje será sobre o fim da estada em Londres... Após 3 meses bem divertidos temos que admitir que tudo tem seu fim!

O post de hoje é dedicado aos trabalhadores, primeiro de MAIO (que infelizmente caiu num sabado, entao sem feriadao - DROGA! - Nao que faça diferença pra mim :P)! :P. Estranha dedicatoria, principalmente vindo de mim que sou um nao-trabalhador nato! Mas devemos ter consciencia que para que alguem possar curtir o ócio (produtivo), outros devem trabalhar. A sociedade tem que seguir seu rumo e os trabalhadores sao os responsaveis por isso! :D Entao viva eles, que eles possam cada vez mais produzir e tornar o mundo um lugar melhor, inclusive para os nao-trabalhadores aproveitarem tambem! :D

De volta a londres, quando retornamos da EUROTRIP, restavam apenas 3 semana de Londres para aproveitar. Tenho que admitir que já batia uma melancolia de ter que deixar aquela cidade maravilhosa e trocar tudo que ja tinhamos acostumado lá pela FRIA E TENEBROSA Berlim. Mas a vida é assim, e olhando pelo lado bom, pelo menos não estavamos voltando pro Brasil, haha. Aliás, como estavamos na ultima semana de Fevereiro, e em geral no Brasil as aulas só começam de verdade depois do carnaval, tinhamos alguns amigos nas ultimas semanas, ou seja, voltando pro Brasil e pra estudar... Isso certamente me deu uma alegria imensa de estar saindo de lá pra Berlin pra fazer um belissimo NADA! Além disso, as ultimas semanas entao foram de despedidas, o que logicamente implicam em festas de despedidas: ultima 2a feira no WALKABOUT, ultima 4a feira de tekilas nos LOS LOUCOS, ultimas idas aos PUB's de CANDEN TOWN, ultimas hause partys, ultimas festas da escola... Enfim, foram 3 semanas de muitas ultimas festas, até que chegasse a nossa ultima semana :(.

Além disso, aproveitei as ultimas semanas pra conhecer alguns parques que nao conhecia, algumas ruas especiais que nao conhecia e alguns lugares que nao conhecia! Nada de super divertido ou de destaque, porém sem duvidas o passeio do parque da primavera eram muito mais deliciosos que os do inverno... o sol batendo no rosto e o ventinho fresco deixavam o clima perfeito para sentar na grama e aproveitar o movimento. Gente correndo, casais passeando, crianças brincando e o meu favorito: Pessoas brincando com seus cachorros! Adooooro ver pessoas brincando com seus cachorros no parque. Parece cena de filme... haha. Aliás, os cachorros aqui parecem mais espertos que no Brasil, pelo menos que os meus no geral. É quase unanimidade que eles andam sem as guias (em qualquer lugar, ruas ou parques) e nao saem fazendo loucuras ou sequer pertubando qualquer um que passe ao lado deles! Sabem brincar de pegar bolas, gravetos, pega pega, etc... além de serem obedientes nas ordens de sentar, deitar e ficar. Adorei!

Alem disso, tudo como sempre. Poucas idas pra aulas, aliás na ultima semana nao fui um dia sequer... nem pra dizer tchau pros coleguinhas (nao gosto de despedidas). No meu flat, uma semana antes de sairmos, era a última semana do Martin, o sueco que dividia o flat com agente, então festa no AP! haha... Na verdade festa no ap dos outros, porque o flat dos outros brasileiros, no 2o andar, eram o point das festas no predio, entao era lá que tudo acontecia! Aliás nem era um flat totalmente brasileiro, mas de 5 pessoas 3 eram brasileiras, uma alemã e um turco que tentava falar portugues, mas só saia um feissimo: "tu-tu-tu-tudo bem?". haha

Mas a pior parte da despedida veio depois da saida do Martin, O NOVO FLATMATE. A figura era tenebrosa... um frances velho, com a cara inrugada mesmo, que não falava inglês e era totalmente inconveniente. Quando ele chegou, estava na vez do quarto 3 (o quarto do martin) fazer a faxina do AP, já chegou se fudendo, eu acho é graça! Leandro relata que ele perguntava umas 1000 vezes sobre o que fazer e como fazer na limpeza. Eu nao sei de nada disso por que como tinha medo da cara dele, e ele nao falava ingles eu não falava com ele! Mas leandro já estava totalmente sem paciencia! Então um dia aconteceu uma das coisas mais engraçadas de toda a estada em Londres: Estavamos voltando da festa, e decidimos cozinhar no nosso flat: Leandro, Danilo (meu amigo do iesam que estava em Londres tambem, mas no flat dos brasileiros) e eu. Estavamos na cozinha, altas horas da madrugada, obviamente alterados, falando alto e cozinhando um macarrão com salsicha! Mas até entao tudo bem, ja que esse era o procedimento padrão em um apartamento onde só moram jovens, estudantes (alguns trabalham, mas nao no nosso flat :P), e extrangeiros. Porem, o velho nao estava acostumado com esse ritmo e nao demorou a ir lá reclamar... So que o engraçado foi que ele nao falava ingles, entao eu fingia que nao tava entendendo, e o leandro muito mais louco que eu conversava com ele coisas totalmente sem sentido, do tipo: "Ahn? Are you ok? Do you wanna a beer? Here, take this beer and stay with us!". E o cara gesticulando, tentando dizer que nao queria, e soh queria menos barulho pra dormir. Dai o leandro continuava: Oh ok ok... Dont worry, we stay eating here, and you can clean everything tomorrow! (tipo em referencia a que o cara passou tempos so perguntando como limpava). E o cara voltou a tentar explicar que só queria dormir. Dai finalmente o leandro sem paciencia: (vou escrever traduzido) "porra, vai dormir... nao quer beber beleza, mas já disse que amanhã tu pode limpar tudo! agora agent ta comendo!". Hahuahuahuahuaha. A essa altura danilo e eu já estavamos morrendo de rir... E o frances mega desesperado sem ser compreendido! Entao finalmente eu falei que já estavmos terminando e nao fariamos mais barulho... pra ele ficar tranquilo... hahaha... e depois agente ainda ficou gozando do leandro por que ele nao tava entendendo nada e haja mandar o frances limpar tudo! hahaha.

Depois disso, o frances ainda fez umas merdas do tipo, começou a querer barrar o danilo de entrar por que ele nao morava lá, sendo que ele praticamente era da casa e todos sabiam, ja que vivia indo la no meu quarto o tempo todo. Danilo me disse que ele fazia perguntas do tipo: "voce mora aqui?", e o danilo ria na cara dele e dizia que ia falar comigo... Leandro ainda disse que uma vez pegou ele espiando dentro do quarto enquanto ele estava deitado cochilando, e botou o velho pra correr! hahaha. Ele se explicou dizendo que aquele quarto seria dele depois que nos saissemos, entao ele queria dar uma olhada! (que merda - foda-se ele). Putz, engraçado demais, mas se fossemos ficar lá mais tempo teriamos que trocar de flat... com aquele velho lá não ia dar certo! hahaha. Acho que ele era algum serial killer, tarado, doente mental... Ainda to esperando noticias de alguma desgraça naquela regiao! haahahah

Enfim, além disso nos ultimos dias compramos umas bobagens e arrumamos as malas pra partir!

Tudo pronto! Proxima parada BERLIN!
abraço do amigo europeu.
Até a proxima!

terça-feira, 27 de abril de 2010

La bella Itália

Bom chegamos ao último passo da trip: Roma. A capital do império mais famoso! E como já esperava e nao poderia ser diferente, a cidade respira história e cultura! Mas antes de entrarmos na cidade em sí vamos continuar de onde paramos, a ida pra roma, que aliás é um capitulo interessante da história.

Rapida parada pra o oferecimento do dia: um grande abraço pro meu amigo Alcir (dinovo) que foi o grande parceiro dessa trip de 3 paises, um cara que planejou boa parte do passeio do Brasil e tudo. Além disso, um grande abraço pro Michel que me emprestou uma grana pra reservar os hotéis no brasil, e que eu demorei abessa a devolver. Desculpa Michel! Você é o cara!

Voltando a viagem. Na sexta acordamos em innsbruck e o plano era ir pra Roma. Na vespera tinhamos tentado comprar as passagens na estação de trem, mas nao deu porque o trens da Italia estavam de greve, e bla bla bla. O fato é que deixamos pra resolver tudo quando acordassemos na esperaça de que a greve tivesse acabado (sonho meu). Pela manhã fomos ao aeroporto pra tentar alugar um carro, o qual usariamos pra viajar pra itália e alcir traria de volta, de onde ele continuaria para a suiça, proximo ponta da viagem dele! O negócio é que innsbruck é uma cidade pequena e os carros estavam esgotados. Tentamos até, na ilusao de uma promoção relampago, ir ao aeroporto pra tentar uma passagem aerea, que como o esperado estavam carissimas (500 euros) o que tornou o mais inviavel dos planos. Decisão final: vamos pegar nossas coisas no hotel, ir pra estação e tomar um trem pra qlqr lugar, afinal se for pra pagar uma diaria a mais que seja num lugar que nao conhecemos ainda... isso ae, vamos tentar ir pra suiça! Chegando na estação, descobrimos que podiamos ir pra Itália, a tal greve nao era 24h, mas sim durante alguns horarios, o que nos possibilitou chegar ao nosso destino após uma troca de trem em uma pequena cidade chamada VERONA. Sim a famosissima Verona da mais famosa ainda história de Shekespeare, ROMEU E JULIETA. Em fim, fiquei animadasso pois a troca teria um pequeno intervalo de 2 horas o que possibilitaria uma rapida passagem por qualquer que fosse o ponto turistico da pequena cidade. Planos frustrados por um bug qualquer no trem que culminou em uma troca de trem no meio do caminho, mas que pelo menos apesar de ruim, graças a diferença de horarios nao fez com que perdessemos o trem seguinte, o que sem duvida seria mais transtornante. Enfim, chegamos a Roma por volta das 21:30.

O Capitulo seguinte foi a ida da estação para o hotel, apesar de curto e bobo é um capitulo engraçado e que nao posso deixar de contar. Ao sairmos da estação com uma tremenda cara de ontem, pelas dor nas pernas do ski na vespera e a longa viagem de trem, nos deparamos com uma imensa fila para o taxi (a essa altura nunca iriamos procurar o hotel a pé). Lea, "espertamente" negocia com um "taxista autonomo", ou nao registrado, ou qualquer coisa do tipo. A primeira coisa que me veio a cabeça foi: "barca furadassa! Manchete do jornal de amanhã: BRASILEIRO SAO ENCONTRADOS MORTOS DEPOIS DE SEREM TORTURADOS, ESTUPRADOS E TEREM SEUS ORGÃOS ROUBADOS, EXCETO O ANÚS ENCONTRADO EM SITUAÇÃO IRRECONHECIVEL". haha. Na verdade o medo era só de ser roubado, e depois aturar os policiais dizendo "turista burro, quer ser espertão pegando taxi nao registrado e se fode! Eu é que nao vou ajudar mesmo! Bem feito". Mas... vamo lá né! Já fiz um ano de Kung Fu e quero ver quem vai me dale! O medo com o passar do tempo nao passava, ainda mais que em geral o centro de Roma é marcado por ruas estreitas, escuras e desabitadas. Os cinco minutos de viagem pareceram horas. Mas apesar de aparentar um pouco perdido o cara até que nos levou no lugar certinho! Urfa! Sobraram risadas e o aprendizado de nunca mais fazer isso, taxi só o registrado mesmo, e o leandro nunca mais decide nada sozinho. Uma atitude dessa nao é o que se espera de um brasileiro malandro como eu! Coisa do mané do leandro! Bora se ligar: Malandro é malandro, mané é mané.

Depois de feito o check in, aproveitamos o fim de noite pra conhecer um pouco da night italiana. Caminhamos até uma praça ali próximo que segundo o atendente do hotél era bem badalada. De fato, o lugar é bem legal. A Itália tem um povo que adora conversar, alias falam bem alto, reunir grupos de amigos em bares ou nas praças mesmo e beber batendo papo e achando graça, algo que me lembrou bastante a nossa terrinha. Sentamos num restaurante ao redos da praça e apreciamos outra das belezas italiana, a culinária. Nossa, durante todos os dias que ficamos lá a comida é realmente algo invejavel. Vale muito a pena apreciar cada refeição com um prato tipico local, mesmo que pagando por volta dos 15 euros por cada uma delas! Uma melhor que a outra, pode acreditar que será um dinheiro bem investido, pode se dizer que é uma atração local. Comemos, bebemos e rimos muito, tiramos muito sarro do custume local de cumprimentos: Homens apertam as mãos das mulheres e beijam o rosto de outros homens. Rimos demais.

No dia seguinte, sabado portanto, saimos em direção ao Vaticano, tinhamos horario marcado com o Papa, o que infelizmente nao se concretizou por que nos atrazamos. No meio do caminho trassamos nosso trajeto de forma a visitar inumeros pontos existente na cidade, como ja disse, roma respira historia e a cidade tem varios monumentos concervados por toda parte, derrepente ao dobrar uma esquina, por entre os prédios você se depara com um obelisco do egito (que aliás existem dezenas deles espalhados por toda a cidade) trazido por algum imperador romano ou mesmo com construçoes como é o caso do Panteão.


O Vaticano como todos sabem é um Estado independente dentro da cidade de Roma. A basilica de Sao Pedro, sendo religioso ou não, é algo inigualavel. Cada cantinho do lugar tem um detalhe a ser observado. A praça a frente do templo tem um detalhe a ser observado que as colunas foram construidas de forma que quando observadas de determinado ponto encontram-se alinhadas. Fiz questao de escrever isso por que ninguem entende ao ler, inclusive eu, mas ao chegar no lugar tudo fica claro, o que aliás é uma sensação de surpresa ótima. Dentro da basilica fizemos questao de subir no alto da cupula, o que apesar do sacrificio vale muito a pena. Oferece uma ótima visão da cidade além de poder ser observado com detalhe a parte interna da cupula. Na saida tentamos tirar foto com o guardinha do papa com roupa de palhaço mas ele nao foi legal com agente :( Maldito!




Na volta pro hotel fizemos o mesmo tentando passar por alguns pontos turisticos, conhecemos muitas praças, em geral com um obelisco roubado do egito no centro, algumas igrejas, o templo de Adriano e até a famosa Fontana de Trevi, que tenho que admitir é muito bonita. Pela parte da noite, degustamos mais uma vez a culinaria local e um rolé pela night italiana para apreciar outro ponto de destaque local: as belas mulheres ou "la bella lagazza"!


No domingo saimos com fim de conhecer o Coliseu. A gigantesca e imponente construição no centro de Roma nao deixa nada a desejar ao que imaginava. Tudo que é falado se justifica ao se deparar com a magnifica construção. No caminho pra lá passamos pelo monumento de Vittorio Emanuele, uma escavações no centro da cidade e a rua do foro imperial, que tem um jardim ou parque muito bonito, e a rua ficou bem famosa ao ser retratada no filme "gladiador" onde maximus passa pelo meio do povo. Tudo muito inacreditavel. Ao entrarmos no coliseu de fato da pra imaginar uma viagem no tempo e se sentir um pouco na época dos grandes espetáculos de pão e circo! Depois de sair do coliseu caminhamos um pouco mais a frente para chegar ao Arco de Constantino, e ainda um pouco mais a frente chegamos ao lugar onde eram realizadas as corridas de bigas, mas que estava em escavação ou sei lá o que, então nem demos muita bola. Aproveitamos o fim do dia para ir a estação marcar a passagem do Alcir pra suiça e para comer mais uma vez (já viu que isso é o que mais fizemos em roma).



Pela parte da noite saimos pra curtir um pouquinho novamente, mas não demoramos a voltar, pois no dia seguinte tinhamos viagens.

E é isso. Ponto final na viagem. A volta pra Londrs foi tranquila e sem problemas na imigração. Uma forra pra quem estava estouradasso depois de tantas andassas.

Abraço do amigo europeu a todos.
Até a próxima.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Hora de esquiar! Innsbruck-Austria


Chegou a hora de esquiar!!! vivaaaa!

Hum... Então, seguindo viagem... Na quarta-feira, tomamos o Trem pra Innsbruck, que é uma cidade do interior da Austria, famosa por já ter realizado dois jogos olimpicos de inverno, e além disso é considerada a capital do TIROL, que é o nome da cordilheira que tem ao sul da alemanha/oeste da Austria.


Chegamos na cidade por volta das 14h, e antes de seguir pro hotel, resolvemos procurar um ponto de informação turistica, pra adiantar logo os planos do dia seguinte de ir pras montanhas esquiar, principal objetivo de visitar o tirol. Depois de procurar um pouco, encontramos. As minas lá indicaram os caminhos, deram panfletos e tudo, mas me deram um mega susto falando algo do tipo "esquiar é muito dificil, pra quem nunca tentou é melhor voces tentarem isso daquí" e entregou um panfleto de um "ski-bunda na neve". Fala sério né? Não vim até o fim do mundo pra descer num skibunda. Mas tudo bem, decidiriamos o plano na hora, já que tudo estava a disposicao pra ser alugado no alto da montanha.

De lá seguimos para o hotel. Tirando o fato de ser proximo ao aeroporto, e portanto longe do centro da cidade, foi o melhor hotel que ficamos, apesar de nao fazer diferença já que nao ficamos muito dentro do quarto, a essa altura do campeonato tinhamos uma semana viajando e foi legal ficar num lugar bacana. Sem contar que o café da manhã era uma delícia e a paisagem do quarto dava gosto de acordar e abrir as cortinas (o que em geral não se faz - luz matinal ninguem merece).


Depois de deixamos as nossas coisas e descansar um pouco, aproveitamos o fim do dia para conhecer a cidade. A cidade não é muito grande e é relativamente facil de andar (de onibus, nao tem metro. Até pq a cidade é pequena). É uma cidadezinha bem estruturada e organizada. Tem uns museus e monumentos importantes, mas nada que chame a atenção. Passeamos por uma rua de lojas e fomos procurar logo um pub pra comer um pouco já que até então estavamos sem almoçar, famintos portanto. Achamos um PUB bem legalzinho e com comidas tipicas da regiao, exatamente o que estavamos procurando! O unico problema era o belissimo cardápio em alemão! hahaha. Mas foi divertido conversar com o garçon na tentativa de encontrar algo que nos agradace. Aprendi com isso que a melhor opção é sempre falar: "eu gosto de carne, o que você sugere". O que ele falar peça! Sem medo de ser feliz e mesmo sem entender! haha.

Depois disso voltamos pra casa e descansamos para o cansativo dia seguinte de ski! ebaaaa.
Chegando na estação de esqui foi tudo melhor do que o esperado. Alugamos os equipamentos de esqui (sim! vivaaa!). Na verdade tinhamos a opção de snowboarding ou ski, dos quais o segundo teoricamente mais facil pra quem nunca tivesse tentado antes. Felizes da vida fomos por conta propria aprender a esquiar! haha. Momentos divertidissimos. Muita risada, desequilibrio e principalmente quedas, mas no fim do dia até que estavamos "andando" direitinho, além de muito cansados é claro, haha.



O video abaixo mostra minhaa evolução no ski... bem engreçado! haha
video

A visão do alto da montanha é impossivel descrever, e apesar de toda divesão esquiando, apreciar aquela paisagem foi o ponto alto do meu dia, ou quem sabe de toda a viagem. É algo inacreditavel. Um momento da vida que você para e olha com muita atenção, pra tentar tirar uma fotografia mental. Daquelas que nunca saem da memória. Acho que aquela visão vai ser meu eterno papel de parede mental!



Depois disso, aproveitamos e jantamos num café na estação de esquí, voltamos pro hotel e arrumamos nossas coisas pra no dia seguinte, sexta feira, partirmos pra Itália!


Abraço a todos.
Até a próxima!

domingo, 18 de abril de 2010

Vienna - Austria



Aproveitando o Domingão... O post de hoje é dedicado aos amigos que fazem a 2a prova da OAB pela 2a vez, especialmente Charles e Fábio... eita complicação isso ae eihn? Mas é isso ae! Vai dar tudo certo amigos, podem ficar tranquilos! Sucesso galera! To na torcida!

Vamos seguir viagem, de Praga seguimos na segunda feira para Viena de trem. Uma viagem tranquila, que demorou umas 5 horas mas que de trem passaram bem rapinho. Por falar nisso, viajar de trem é o mááááximo! Cara, voce pode chegar na plataforma faltando 5 minutos que nao tem burocracia, os caras só cobram bilhete dentro dos vagões ao longo da viagem, pode-se levar qnts malas quiser! Muito bom. Bom também, porque em geral nao vao lotados o que da uma liberdade pra poder conversar, levantar, ir no banheiro, ir no vagão restaurante! Fora tudo isso tem a paisagem que é um show a parte! Vale muito a pena!

Vagao Restaurante

Chegando na estação de Viena o primeiro impacto é o da língua, trocamos de checo para alemão. Então, eu com meu um ano de estudo da lingua alemã nas costas já estava em casa, certo? Haha, não foi bem assim... Tipo, o alemão que saia era algo do tipo “Entschuldgan, sprechen Sie english?” (“Com licença, fala você ingles?”), que por mais engraçado que possa parecer já ajudava um pouco. Pedimos informação no centro de informação turistica, pegamos o mapa da cidade, e fomos procurar o hotel. Tomamos o metro que ia pra uma estação com o nome da rua do nosso hotel, mas a cagada foi que a estação ia pro começo da rua e nosso hotel era no final, de saldo ficaram uns 15 quarteirões a pé com mochilas nas costas. Haha. O hotel era bem legalzinho até e viriamos a descobrir no outro dia um café da manhã bem gostoso.

Após deixar as malas descansamos um pouco e fomos conhecer o centro da cidade. Deu pra conhecer a cathedral cartao postal da cidade, uma praça, uma fonte lá... Agente tava meio perdido ainda! Rodamos umas duas horas por lá e descobrimos que estávamos mortos de cansados, principalmente pelos quarteiroes carregando malas, e nos arrastamos de volta pro hotel.

Cathedral de Vienna

No dia seguinte, terça feira, mega turistagem, fomos conhecer os muitos palácios habitados pelos hobsburg, família real ao tempo do império autro-hungaro. O que impressiona na austria é o tamanho das construções, uma coisa bem de ostentação de poder mesmo, uma espécie de faraós modernos, aliás essa palavra é ótima pra descrever as construções austricas, são FARAONICAS. Pela manhã fomos a um palácio que não consigo mensurar, só de Palácio eram uns 10x10 quarteirões, além disso o jardim se estendia do castelo, passando por um bosque imenso e se extendendo até uma montanha, muito grande. Montanha aliás que tinha um monumento dedicado aos "soldados mortos" no alto, então subimos até lá.

Frente do Palácio


Jardim... Na verdade é um bosque, sei lá!


Monumento aos soldados mortos em algum lugar...


Visão do alto da colina. Inspiradora! Fiz até uma poesia essa hora, mas perdi ela ao longo da viagem! "DROGA!"

Pela parte da tarde fomos para o complexo de prédios dos Hobsburg, que hoje se tornaram um pouco de tudo, museus, cedes do governo, biblioteca... Visitamos uma praça onde tava tendo “carnaval” com pessoas fantasiadas e tudo, brincado de patinar no gelo. Aproveitamos para almoçar na mesma praça, em um restaurante construido no meio da pista de patins, nessa hora me destaaquei falando com a garçonete, que era muito bonita aliás, em um belissimo bralemão (alemão de brasileiro), mas que ganhou a simpatia da jovem moça, que gentilmente nos ajudou traduzindo o cardápio. Depois disso, continuamos o passeio pelos prédios e museus gigantescos, mas pelo outro lado, passando assim pelo parlamento e museu de história natural... e haja palácio nessa cidade.


Estatua de Mozart, ao fundo outro palácio (pra variar).


Palácio! Nao lembro o que eles são, acho que o da Direita era uma gigantesca biblioteca, e o do fundo um Museu de alguma coisa. Na verdade eles são um prédio único dividido pra atender diferentes funções.


Parlamento Vienense


Museu de Historia Natural, com um simpático elefantinho na porta (estatua)! haha

Admito que o passeio na Austria não foi lá muito legal, primeiro por que foi numa 2ª e 3ª, e depois por que a cidade é meio grande demais, urbana demais, cheia demais de museus e palácios... conhecer isso me deixou cansado só de olhar e sugou meu ânimo.
Partimos então para innsbruck, com a promeça de brincar na neve e ski nas montanhas! ebaaaa! Chega de cultura... Eu quero é cagaaaada! haha

E é isso... Até a próxima!
Um abraço do amigo Europeu.